sexta-feira, 24 de junho de 2011

Pai, começa o começo!"

Li esse texto no blog http://adeliciadesermulher.blogspot.com/ e achei lindíssimo, fiquei superemocionada e me lembrei da minha infância, do meu pai (que já vai fazer um ano mes que vem que ele faleceu), e de como eu fui feliz e muito mais segura quando eu o tinha por perto para me amparar. Ele sempre dizia: vai filha, faz, se não der certo, o pai tá aqui pra te ajudar. em tudo principalmente nos momentos de aperto, ele sempre me estendia as mãos e não me deixava sozinha; nunca deixou.
Então peço licença ao blog " Delícia de ser mulher para publicá-lo em homenagem ao meu paizinho que tenho certeza, está ao lado de Deus, mexendo os pauzinhos para que a nossa vida aqui em baixo continue dando certo.

Quando eu era criança e pegava uma tangerina para descascar, corria

para meu pai e pedia: - “Pai, começa o começo!”. O que eu queria era
que ele fizesse o primeiro rasgo na casca, o mais difícil e resistente
para as minhas pequenas mãos. Depois, sorridente, ele sempre acabava
descascando toda a fruta para mim. Mas, outras vezes, eu mesmo tirava
o restante da casca a partir daquele primeiro rasgo providencial que
ele havia feito.Meu pai faleceu há muito tempo (e há anos, muitos, aliás) não sou mais
criança. Mesmo assim, sinto grande desejo de tê-lo ainda ao meu lado

para, pelo menos, “começar o começo” de tantas cascas duras que
encontro pelo caminho. Hoje, minhas “tangerinas” são outras. Preciso
“descascar” as dificuldades do trabalho, os obstáculos dos

relacionamentos com amigos, os problemas no núcleo familiar, o esforço
diário que é a construção do casamento, os retoques e pinceladas de
sabedoria na imensa arte de viabilizar filhos realizados e felizes, ou
então, o enfrentamento sempre tão difícil de doenças, perdas, traumas,
separações, mortes, dificuldades financeiras e, até mesmo, as dúvidas
e conflitos que nos afligem diante de decisões e desafios.
Em certas ocasiões, minhas tangerinas transformam-se em enormes abacaxis......
Lembro-me, então, que a segurança de ser atendido pelo papai quando
lhe pedia para “começar o começo” era o que me dava a certeza que

conseguiria chegar até ao último pedacinho da casca e saborear a
fruta. O carinho e a atenção que eu recebia do meu pai me levaram a
pedir ajuda a Deus, meu Pai do Céu, que nunca morre e sempre está ao
meu lado. Meu pai terreno me ensinou que Deus, o Pai do Céu, é eterno
e que Seu amor é a garantia das nossas vitórias.

Nenhum comentário: